sexta-feira, 29 de junho de 2012

Casamento Coletivo Gay é Promovido no Pará




Públicamos agora o discurso a respeito do casamento coletivo gay feito no Estado do Pará ontem, Dia Mundial do Orgulho LGBT.


É importante ressaltar que foi a primeira que o Pará teve um CASAMENTO coletivo gay. Não é união estável. 18 casais saíram com 18 certidões de casamento nas mãos.
 

*****


DISCURSO PROFERIDO NO CASAMENTO COLETIVO EM 28 DE JUNHO DE 2012 – METROPOLITAN TOWER – BELÉM/PA


Prezados senhores, prezadas senhoras, autoridades aqui presentes, amigos, familiares, prezados noivos e noivas,

É com enorme satisfação que damos início a esta cerimônia, melhor dizendo, a esta celebração em que nos comprometeremos - todos nós - a colocar o amor à frente de qualquer sentimento, a compreensão à frente de qualquer virtude, o carinho à frente de qualquer gesto.

E que fique claro: não é para qualquer um a decisão de se unir a outra pessoa, com ela constituir uma vida em comum e gerar, de forma definitiva, uma família.

E aqui surge a expressão mais importante deste dia: a constituição de uma família. Se ao longo de toda a história se preservou a relação entre maridos e esposas, pais e filhos, genros, noras, sogros e sogras, hoje também preservaremos a relação entre companheiros e companheiras. Homens e mulheres que decidiram encarar de frente essa guerra diária contra o preconceito e a homofobia para efetivamente se unirem a alguém do mesmo sexo e constituir uma família.

Talvez alguns de vocês queiram ter filhos, e esta será uma decisão soberana da qual ninguém terá o direito de ser contra. Ou talvez vocês prefiram não tê-los, pois o amor que um sente pelo outro seja tão pleno que se baste por toda a eternidade.

De uma maneira ou de outra, não há nada, absolutamente nada diferente entre a família que os senhores e senhoras constituirão e o modelo heteroafetivo que, a cada dia, se torna tão somente mais um modelo.

Ou não! Talvez a família que surja deste casamento seja completamente distinta de tudo o que se viu até hoje. E se pensarmos bem, qual é a família que não se apresenta completamente distinta das demais?

Quem aqui pode negar a diversidade existente entre dois vizinhos? Entre duas crianças da mesma idade que estudam no mesmo colégio? Entre irmãos gêmeos? Quem nega a diversidade entre si e o homem ou a mulher que ama?

Somos mesmo todos iguais? E ao mesmo tempo: será que somos assim tão diferentes?

Respeite a diferença! Respeite a igualdade! É preciso encontrar dentro de cada coração o verdadeiro sentido que sempre moveu o mundo: a missão gloriosa de fazer o outro transbordar de felicidade. E não parece nada leviano dizer que hoje os corações de todos esses noivos e noivas transbordam exatamente dessa felicidade.

Porque chegaram até aqui ou que caminho trilharam, quais lutas perderam e quais as que ganharam, isso pertence à história exclusiva de cada indivíduo, de cada casal, de cada – repita-se – família. Mas uma coisa todos nós temos certeza, ninguém chegou aqui de forma fácil, simples, sem lutar, sem chorar ou sem querer.

Nossas histórias são diversas, nossas personalidades são distintas, nossa visão do mundo e da vida é absolutamente única. Por que então não aproveitar esse momento para celebrar também essa nossa diversidade? E que ironia! É justamente isso o que nos torna tão parecidos no Amor.

A partir de hoje o mundo os verá como uma só criatura e, mesmo sendo formada por dois homens ou por duas mulheres, ainda assim vocês terão que saber respeitar a própria diversidade que existe entre vocês. Mas isso não é tão novo assim: é exatamente o que aprenderam a fazer do momento em que se conheceram até agora.

A ideia de casal não nasce com a assinatura de um documento. O papel e a caneta apenas concordam – e provavelmente se sentem honrados – em selar tudo o que foi vivido até aqui e o muito que ainda será. Porque há algo superior ao “sim” que vocês dirão. E é algo que somente vocês conhecem, aceitam e fazem questão de que todos saibam o que é. E não se preocupem: por mais difícil que seja colocar esse sentimento em palavras, no momento em que vocês disserem aquele “sim”, todos nós entenderemos.

Entenderemos também quando olharem uns para os outros e disserem: “eu te amo”. Pois digam! Não tenham vergonha nem medo. Já tivemos medo demais do que os outros pensam do Amor que hoje vocês consagram. Digam sempre o que sentem de verdade: assim que acordarem; quando almoçarem juntos no meio da correria do dia a dia; nos dias nublados; no doce entardecer; antes de dormir. O amor precisa ser dito sempre.

Não percam o brilho que hoje nós vemos no olhar de cada um de vocês. É aqui que se reconhece o quanto esse momento é sublime, e o quando essa celebração será repetida diariamente nas suas vidas.

Lutem! Busquem o impossível, se for necessário. Façam das tripas coração para defender os direitos que vocês possuem: direitos civis, direitos humanos, direitos naturais. Por que eles são muitos, são belos, e acima de tudo, são legítimos. Não duvidem disso, mesmo que às vezes essa luta pareça não ter fim. Mas vocês chegaram até aqui, não chegaram? Nós chegamos! Então não há o que temer enquanto permanecermos unidos; enquanto vocês, como família que são e que sempre foram, continuarem se amando.

E sejam felizes, acima de qualquer coisa e em qualquer circunstância, porque isso é tudo o que a Defensoria Pública do Estado do Pará deseja para cada um de vocês. Nada mais.
  

Sergio Sales Pereira Lima
Defensor Público do Estado do Pará 





Equipe Diversidade Católica 

3 comentários:

Mateusz disse...

Suas postagens diárias fazem falta. :/

Rodolfo Viana disse...

:)

Obrigado pelo carinho Matheus!


Sem querer estamos um pouquinho mais esporádicos
:(

Um afetuoso abraço;

Rodolfo Viana

Equipe Diversidade Católica

Juan Manuel disse...

Caros amigos, eu tenho escribido varios mensajems para voces sim respostas ainda.
Meu nome é Juan Manuel e quero saber que voces fazem. Voces tem um grupo? voces so se cumunicam virtualemnte?
Espero sua resposta atte.Juan Manuel

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...