terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Assim me diz a Bíblia


O documentário americano “For the Bible Tells me So” (Assim me diz a Bíblia), é uma emocionante e bem fundamentada discussão a respeito do significado real das palavras da Bíblia naquilo que se refere à homossexualidade.

O filme conta com o depoimento de vários teólogos, pastores, do bispo anglicano Desmond Tutu, além de um rabino. Por meio destas participações se põe em questão o que realmente as passagens da Sagrada Escritura que se referem à relação entre pessoas do mesmo sexo querem dizer e se é justo, para com o sentido original do texto, usá-las como prerrogativa de condenação absoluta ao inferno para gays e lésbicas.

A interpretação literal do texto bíblico é desconstruída gradativamente à medida que se contextualiza a situação cultural, a mentalidade presente na época retratada pelos textos.  Numa linguagem fácil, os diversos depoimentos vão nos fazendo perceber que, assim como a Bíblia foi, e às vezes, ainda é, usada para justificar a submissão ideológica das mulheres em relação aos homens ou a discriminação racial, hoje o alvo dos fundamentalistas bíblicos é os homossexuais.

O filme não é, no entanto, uma discussão teológica entre especialistas. Na verdade, a contextualização original das passagens bíblicas se justifica na medida em que o público-alvo do documentário são as famílias, especialmente as de origem ou tradição cristã.  Os idealizadores são um casal heterossexual, Robin e Bruce, e a idéia desde o início era criar uma identificação com os telespectadores - e quem não tem um parente ou um amigo gay? Por isso, o filme é centrado na história de cinco famílias cristãs com algum membro homossexual. Acompanhamos no filme os diferentes caminhos que cada família trilhou ao se deparar com a notícia de que um dos seus era homossexual. Histórias distintas, mas que produziram em cada família uma profunda, e muitas vezes dramática, reflexão sobre o que a Bíblia realmente diz sobre a homossexualidade - e, acima de tudo, sobre a incondicionalidade do amor divino e humano.

As famílias foram muito bem selecionadas e têm histórias muito significativas; vale ressaltar, porém, a da família Robinson. São entrevistados os pais e a ex-mulher de Gene Robinson, o primeiro bispo anglicano assumidamente gay da história. Ele se converte num símbolo importantíssimo da possibilidade real de conciliação entre as identidades gay e cristã, e não há como não se emocionar, no filme, com as cenas de sua consagração episcopal.

“Assim me diz a Bíblia” expressa de maneira muito clara que há uma ideologia perversa por trás do uso de passagens isoladas da Sagrada Escritura para justificar em termos religiosos o ódio aos homossexuais; e nos mostra, concretamente, por meio da história de cinco famílias cristãs, os caminhos reais trilhados por pessoas que souberam resignificar em suas vidas o que realmente a Bíblia nos diz de mais importante e central: o amor verdadeiro e incondicional a todos.

O filme não foi lançado comercialmente no Brasil, tendo sido exibido em alguns festivais e, recentemente, no canal GNT.

7 comentários:

Rodolfo Viana disse...

Disponibilizamos o link do filme num post passado para Download, aí vai

Do filme ‘Assim me diz a Bíblia’:
http://gayload.blogspot.com/2009/01/como-diz-biblia-for-bible-tells-me-so.html

Do filme ‘Preces para Bobby’, com Sigourney Weaver, baseado em uma
história real:
http://gayload.blogspot.com/2009/02/prayers-for-bobby.html

Rodolfo Viana disse...

ps.: O ‘Preces para Bobby' tb é uma excelente referencia para se tratar a questão.

RSantos disse...

e o que acontece com 'odeie o pecado, mas ame o pecador"?

Equipe Diversidade Católica disse...

Pois é, RSantos, o maior problema dessa história de "odeie o pecado, mas ame o pecador" é que é difícil separar o ato da pessoa que o pratica... Na prática, fica difícil separar os sentimentos. Preferimos o "quem nunca pecou, que atire a primeira pedra". :-)))

Falamos um pouco sobre isso nos posts "Ser gay e ser católico" e "Nosso testemunho". Se quiser, dê uma olhada!

Um grande abraço!

Teófilo disse...

Absurdo! Este blog inteiro é um monte de lixo absurdo e satânico! Vocês acham mesmo que é possível ser católico e dar a bunda?????? Decidam de uma vez! O HOMOSSEXUALISMO É ABOMINADO POR DEUS! Para mostrar isso, Ele simplesmente DESTRUIU duas cidades inteiras por causa desta ANOMALIA SEXUAL! Não é impossível um gay ser salvo, mas eu, francamente, não acredito que vocês vão escapar do inferno PREGANDO AS MENTIRAS ABSURDAS que estão pregando neste canal satânico.
Homossexuais que decidem ser cristãos devem viver o CELIBATO LEIGO, homossexuais que se recusam a abrir mão do homossexualismo, não são cristãos, menos ainda, CATÓLICOS.

Equipe Diversidade Católica disse...

Querido Teófilo,

O Magistério da Igreja católica classifica o ato homossexual como um ato "desordenado" - que é, diga-se de passagem, diferente de "pecado" - e recomenda a castidade - que é diferente de celibato, embora muitas pessoas tendam a estabelecer essa equivalência.

Mesmo que fosse pecado, porém, isso não nos faria menos cristãos, nem menos católicos. Todos nós, membros da Igreja, somos pecadores. Ser pecador não faz de ninguém menos membro do Corpo de Cristo - muito pelo contrário.

Esperamos que você encontre em Cristo a mesma paz e em Deus Pai o mesmo amor misericordioso e compassivo que encontramos, e de que procuramos dar testemunho.

Fique com Deus.

Afetuosamente,

Equipe Diversidade Católica

Rogerio Floripa disse...

Baixar o Documentário - For The Bible Tells Me So - Sobre a discussão entre homessexualidade e religião. http://mcaf.ee/ngdej

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...